Destaque

Pombal investe 830 mil euros na eficiência energética de dois edifícios municipai

0

A Câmara de Pombal, no distrito de Leiria, vai investir cerca de 830 mil euros na eficiência energética dos Paços do Concelho e no edifício dos Serviços Técnicos, de acordo com informação enviada à agência Lusa.

Segundo o vereador Pedro Navega, já decorreram os respetivos procedimentos concursais e os trabalhos, com aquele valor global a que acresce IVA, foram adjudicados.

No caso dos Paços do Concelho, onde a obra está a começar, o investimento contempla, por exemplo, a substituição de envidraçados simples e anulação das aberturas na claraboia dos claustros por soluções mais eficientes com caixilharia com corte térmico e vidro duplo, a aplicação de isolamento pelo interior na cobertura das zonas do edifício climatizadas por soluções mais eficientes e a alteração do sistema de produção térmica.

Quanto ao edifício dos Serviços Técnicos, a intervenção não começou porque tem de “haver uma obra preparatória ainda de impermeabilização da cobertura”, adiantou Pedro Navega, que tem, entre outros, o pelouro da transição e eficiência energética.

Os investimentos no âmbito da eficiência energética estendem-se à piscina municipal coberta, cujo concurso público ainda não foi lançado, porque, entretanto, surgiram novos equipamentos no mercado.

“Estamos neste momento em fase de revisão com o projetista desses equipamentos e, assim que tivermos esse processo, será lançado o procedimento concursal”, explicou o autarca.

Estes três investimentos têm financiamento do Programa Operacional Centro 2020.

O Município de Pombal prevê ainda, relativamente à iluminação dos pavilhões e estádios, substituir as luminárias por outras mais eficientes e, no caso da iluminação pública, está a ser analisada a possibilidade de concessão a uma empresa de serviços energéticos.

“Em traços gerais, essa empresa irá substituir todas as luminárias da iluminação pública para LED sem custos para o município e com uma redução efetiva da fatura energética com iluminação pública, que se estima na ordem dos 40%, 45%”, referiu Pedro Navega.

Por outro lado, o autarca afirmou que estão a ser feitos estudos no âmbito da eficiência energética para equipamentos relativos ao abastecimento de água e saneamento, serviços internalizados na Câmara, como estações de tratamento e elevatórias, e reservatórios.

“São equipamentos que consomem muita energia”, declarou, esclarecendo que está a ser analisada a hipótese de intervenções pontuais “ou através da instalação de fotovoltaicos ou através da instalação de outros equipamentos de produção de energia”, para garantir uma redução do custo da energia.

Notícias Do Centro

Santana Lopes assume que não vai adquirir Cabo Mondego devido a “suspeições” da oposição

Notícia anterior

Santa Comba Dão aprova proposta do orçamento para 2023 superior a 21 milhões

Próxima notícia

Também pode gostar

Comentários

Comentários estão fechados

Mais em Destaque