Castelo BrancoDestaque

Projeto municipal de apoio ao luto já abrangeu 500 pessoas em Oleiros

0

O Programa de Apoio ao Luto da Câmara de Oleiros já abrangeu 500 pessoas, em sete anos, e está atualmente a acompanhar 120 utentes, anunciou aquela autarquia do distrito de Castelo Branco.

Em nota de imprensa enviada à agência Lusa, o município salienta que este programa foi criado em 2015, com o objetivo de levar até aos lugares mais remotos do concelho uma psicóloga, que presta apoio a pessoas que se encontrem em processo de luto.

O programa arrancou com 50 utentes e, desde então, já abrangeu 500 pessoas.

“Atualmente, a psicóloga acompanha, com visitas ao domicílio e atendimentos no Gabinete de Ação Social Municipal, cerca de 120 de pessoas, algumas das quais a precisar agora de apoio após um período longo de isolamento social”, explica a autarquia.

Passados estes sete anos do projeto e depois de o país ter passado períodos de confinamentos obrigatórios, a psicóloga responsável do projeto, Rafaela Lopes, explica que o programa “acabou por não se restringir à perda de vida humana”, abrangendo também “outras perdas de condição de vida geradas pela pandemia, mas também por outros acontecimentos traumáticos como doenças ou, por exemplo, os incêndios”.

Citada na nota de imprensa, esta responsável sublinha o impacto que a covid-19 trouxe para a saúde mental das pessoas, quer pela perda de vida, quer pelo afastamento entre pessoas e familiares.

“Estamos perante a pandemia da saúde mental derivada da covid-19. As pessoas que não puderam despedir-se de vizinhos ou familiares que faleceram com este vírus. Outras que não veem filhos ou outros familiares devido ao afastamento. Outras ainda que se isolaram com medo da doença”, aponta.

Segundo a informação, a sinalização dos casos é feita pelo Gabinete Municipal de Ação Social, Serviço Municipal de Proteção Civil, Juntas de Freguesias, pelo Programa Contratos Locais de Desenvolvimento Social (CLDS 4G), Centro de Saúde, Segurança Social, ou pela própria comunidade (vizinhos ou amigos).

Igualmente citado na nota de imprensa, o presidente da Câmara de Oleiros, Fernando Jorge, lembra que o projeto foi delineado “a pensar sobretudo nas pessoas que vivem sozinhas” e que podem entrar mais facilmente em depressão do que se estiverem em companhia.

Fernando Jorge destaca ainda que este “projeto foi pioneiro a nível nacional” e que o município está a fazer aquilo que o Estado deveria fazer em todo o país.

A autarquia também salienta que o Projeto de Apoio ao Luto de Oleiros já recebeu vários prémios nacionais, como o de Município do Ano 2019 na categoria regional Centro, atribuído pela Universidade do Minho através da plataforma UM-Cidades, o Prémio Boas Práticas em Psicologia – Administração Local – 2019, criado pela Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP) e pela Câmara Municipal de Lisboa, entre outros.

Além disso, recorda, o concelho tem outras medidas de apoio social no terreno, como o projeto “Cuidador”, composto por uma equipa multidisciplinar que, para além de dar apoio aos cuidadores informais, integra de forma permanente uma cabeleireira/esteticista e uma ajudante e uma técnica de geriatria.

Notícias do Centro | Lusa

Medicamento contra cancro mais letal vence Prémio Inovação Bluepharma/Universidade de Coimbra

Notícia anterior

Pulseira eletrónica para homem em Figueira de Castelo Rodrigo por violência doméstica

Próxima notícia

Também pode gostar

Comentários

Comentários estão fechados