Coimbra

Oliveira do Hospital atribui um Prémio municipal a boas práticas

0

O Município de Oliveira do Hospital vai atribuir o Prémio Municipal “Igualdade Local, Cidadania Responsável” através do qual pretende galardoar, sublinhar, valorizar e disseminar boas práticas e o papel de pessoas, a título individual ou institucional, que de forma marcante contribuam para a promoção e implementação de práticas de cidadania e não discriminação em geral, em respeito pelos Direitos Humanos, dando particular ênfase à promoção da igualdade de participação de mulheres e homens nos territórios e contextos da área municipal.

O lançamento público deste galardão municipal aconteceu na sessão comemorativa do Dia Municipal para a Igualdade, 21 de junho, conduzida pelo presidente do Município de Oliveira do Hospital, José Francisco Rolo, acompanhado pela vereadora com quem partilha o pelouro da Ação Social, Graça Brito, e a coordenadora da equipa Igualdade Local: Cidadania Responsável, Ana Rodrigues.

De natureza bienal, o Prémio é instituído em 2023 – encontrando-se aberto o período de candidaturas ao mesmo até ao final do ano – no âmbito do III Plano Municipal para a Igualdade e a Não Discriminação (PMIND) de Oliveira do Hospital e pretende distinguir contributos relevantes mulheres e homens, bem como de instituições públicas e/ou privadas, para a construção e valorização da igualdade de género, de uma cultura de não violência e não discriminação e de uma cidadania proativa no território concelhio contemporâneo.

Na mesma ocasião foi também apresentado o III PMIND de Oliveira do Hospital, desenvolvido ao abrigo de uma candidatura ao Programa Operacional de Inclusão Social e Emprego (POISE) Região de Coimbra, Com Igualdade. O documento estratégico apresenta conteúdos que suporta a atuação estratégica do Município em matéria de política para a igualdade de género e não discriminação, para o período de 2023 – 2026, planeado de acordo com o lema da Agenda 2030 – Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável – “Ninguém pode ficar para trás” e à luz da Estratégia Nacional para a Igualdade e Não Discriminação – Portugal + Igual (ENIND). É sustentado em 3 planos de ação, que definem objetivos e estratégias específicas, a saber: Plano de ação para a igualdade entre mulheres e homens; Plano de ação para a prevenção e o combate à violência contra as mulheres e à violência doméstica; e Plano de ação para o combate à discriminação em razão da orientação sexual, identidade e expressão de género e características sexuais.

Como assinalou José Francisco Rolo, Presidente da autarquia, Oliveira do Hospital conta com um “trabalho assinalável nestes últimos treze anos” e um “percurso de grande responsabilidade e sensibilidade social” primeiro trabalhando as questões da promoção da igualdade entre mulheres e homens, aquando do início do projeto “Igualdade Local, Cidadania Responsável” em 2010; e que depois se estendeu à sensibilização contra a violência doméstica e no namoro para desocultar o fenómeno e ter respostas para as vítimas de violência e discriminação. “Este é um projeto que quando começou foi uma pedrada no charco, pensado para despertar consciências”, afirmou.

“Chegámos aqui não por impulso mas porque houve um projeto pensado por pessoas para pessoas e com o desígnio de ter uma sociedade mais digna e relações mais saudáveis”, referiu o autarca lembrando o percurso que o Município de Oliveira do Hospital tem feito, desde 2010, desenvolvendo diversas ações de valorização da Igualdade enquanto valor essencial, que envolvem diferentes parceiros e a sociedade civil de todas as idades.
“Fomos a todo lado, às escolas, às empresas, às instituições e sempre no espaço público” que “foi e é o palco deste trabalho, onde as pessoas são interpeladas, nos mais diversos eventos, para agitar consciências”.

Um longo trabalho de “13 anos de um caminho sempre inacabado” que José Francisco Rolo – confessava “muito me honra estar hoje aqui a comemorar este dia” – garante que vai ter continuidade. “Vamos continuar a trabalhar em relação estreita com as estruturas existentes, com as escolas com quem queremos uma relação próxima e sempre presentes na comunidade. Há muito para fazer no caminho da igualdade para que não haja discriminação nem violência e para uma sociedade mais igualitária”, disse, lembrando ainda o papel da comunicação social que foi sempre uma grande aliada assumindo uma postura de responsabilidade social na sensibilização do grande público
“Somos um concelho onde se cultiva a esperança, a melhoria da qualidade de vida. Somos um concelho inclusivo, onde a igualdade de género é manifestação de bem estar social”, conclui o presidente José Francisco Rolo, e que foi reconhecido, por duas vezes consecutivas, como um dos melhores locais para viver em igualdade pela Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género (CIG) através da atribuição do “Prémio Viver em Igualdade” Biénio 2020-2021 e Biénio 2022-2023.

Pedro Machado distinguido com Prémio Personalidade

Notícia anterior

Aprovadas candidaturas do IPC para melhoria da eficiência energética de 20 edifícios

Próxima notícia

Também pode gostar

Comentários

Comentários estão fechados

Mais em Coimbra