CoimbraDestaque

Metro estima que operação no percurso urbano de Coimbra arranque no final de 2024

0
A operação do Sistema de Mobilidade na zona urbana de Coimbra deverá arrancar “no final de 2024”, afirmou hoje a Metro Mondego, após ter sido adjudicada a empreitada do troço entre Coimbra-B e a Portagem.

Apesar de se escusar a indicar datas concretas por as obras ainda não terem começado quer naquele troço quer na linha do Hospital, a Metro Mondego afirmou à agência Lusa que “é possível avançar” com a operação urbana do Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM) em Coimbra no “final de 2024”.

Já a operação do troço entre Serpins (Lousã) e a Portagem continua a estar previsto que entre em serviço “no primeiro trimestre de 2024”, frisou fonte oficial da Metro Mondego.

Na quarta-feira, foi publicado o contrato de adjudicação para a empreitada entre Coimbra-B e a Portagem, no portal de contratos públicos Base, que foi celebrado a 20 de maio, entre a Infraestruturas de Portugal e um consórcio composto por uma empresa portuguesa e outra espanhola.

A empreitada, com um valor de investimento de cerca de 34 milhões de euros, tem um prazo de execução de 994 dias, o que leva a conclusão da obra no centro da cidade de Coimbra para março de 2025, caso essa arrancasse neste mês (ainda será necessário um visto do Tribunal de Contas e auto de consignação).

Questionada pela agência Lusa, a Metro Mondego remeteu para a Infraestruturas de Portugal a previsão de data de consignação da obra, referindo que não tem essa informação.

Em março, aquando da abertura de um concurso público para o fornecimento de veículos para o SMM, a Metro Mondego apontava para março de 2024 “a entrada em serviço” do sistema.

No Relatório e Contas de 2021, a empresa admitia atrasos que pudessem implicar “ajustamentos, nomeadamente no caminho crítico inscrito no cronograma para início da operação do sistema”, num documento em que a Metro Mondego frisava a intenção de, em 2024, ser “finalmente possível assegurar a plena concretização do SMM”.

Os “ajustamentos” de prazos têm sido recorrentes na execução do SMM.

Se no Plano de Atividades e Orçamento para 2021, a Metro Mondego assumia como principal meta colocar em operação o SMM “de forma progressiva, ao longo de 2023”, já no documento do ano seguinte admitia colocar o sistema em operação “ainda no ano de 2023”, entretanto revisto.

O SMM “consiste na implementação de um ‘metrobus’, utilizando veículos elétricos a baterias que irão operar no antigo ramal ferroviário da Lousã e na área urbana de Coimbra”, ligando esta cidade a Serpins, no concelho da Lousã, com passagem em Miranda do Corvo, numa extensão de 42 quilómetros.

Notícias do Centro | Lusa

Município da Mêda e Santa Casa da Misericórdia assinam protocolo de cooperação

Notícia anterior

Obras na Casa do Passal em Carregal do Sal começam em agosto

Próxima notícia

Também pode gostar

Comentários

Comentários estão fechados

Mais em Coimbra